Uma mulher e uma caixa de cerveja como prêmios para quem batesse uma das 100 cartelas de um bingo em Barbalha, no Cariri. Anunciado em um folder que passou a ser denunciado por movimentos feministas nas redes sociais, o evento estava marcado para acontecer na tarde de amanhã, 9, no Espaço Vip – novo nome para um estabelecimento antes conhecido como Chácara da Ana Cleide.

De acordo com Júlio Agrelli, titular da Delegacia da Polícia Civil de Barbalha, o bar foi interditado na manhã de ontem e o evento impedido de acontecer. No material de divulgação, a casa anunciava que, ao preço de R$ 100, os interessados poderiam participar de um “bingo dançante”, cujo vencedor ganharia uma “garota nacional” – nas buscas pelos termos estão relacionados sites de acompanhantes sexuais. A imagem de um mulher seminua e mascarada também é veiculada no anúncio da festa.

Bar anuncia mulher como prêmio de bingo e é fechado por políciaConforme o delegado, na diligência, da manhã de ontem, a mulher que seria prêmio foi encontrada e afirma desconhecer a transação envolvendo ela. “A mulher é do Rio Grande do Norte, e já foi encaminhada para lá. Ela conta que foi chamada para ser atração principal e desconhecia que seria usada como prêmio”, relata Agrelli. O delegado conta que a moça se identifica como modelo e que faz programas, mas não sabia que sua foto constava no material de divulgação. “Ela disse que isso denegria imagem dela”, conta.

Na batida policial, algumas mulheres e dois homens estavam no local. Eles foram levados como testemunhas e prestaram depoimento que poderão, segundo Agrelli, ajudar na elucidação da natureza do funcionamento da casa. Ele informa que o bar servia de ponto de encontro para mulheres e homens, mas ainda não é possível afirmar que seria uma casa de prostituição. “Estamos buscando também, caso eles estejam regularizados, cassar o alvará de funcionamento do bar”, adianta.

Os donos do estabelecimento ou os organizadores da festa ainda não foram identificados. “Um advogado esteve na delegacia e disse que eles iriam se apresentar”, afirma o delegado, informando que o as cartelas do bingo ainda não estavam sendo vendidas o que poderia configurar o flagrante. O inquérito do caso foi aberto pela também delegada Lorna Aguiar e deverá ser concluído na próxima semana. O crime previsto no artigo 228 do Código Penal é o de “Induzir ou atrair alguém à prostituição ou outra forma de exploração sexual” e é passível de pena de reclusão de dois a cinco anos e multa. (Do O Povo Online)