Os professores da rede de ensino municipal da cidade de Capistrano/CE, tentam junto a atual administração a regularização/reajuste do piso salarial da classe de 11,36%, com retroativo a 1º de janeiro de 2016.

O crescimento salarial está de acordo com o índice estipulado pelo Ministério da Educação (MEC), que calcula o percentual de aumento a partir da Lei do Piso do Magistério.

Professores do município de CapistranoCE lutam por reajusteVale ressaltar que mais seis cidades cearenses confirmaram o reajuste dos profissionais do magistério, em levantamento feito pela Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce) juntos aos sindicatos municipais. Desta vez, as cidades de Tamboril, Antonina do Norte, Várzea Alegre, Granja, Guaiuba e Apuiarés conseguiram assegurar 11,36% ou mais de reajuste linear para os professores, ou seja, beneficiando igualmente profissionais com os níveis médio, graduado, especialista, mestre e doutor.

Estas últimas seis localidades se juntam a Eusébio, Tabuleiro do Norte, Cruz, Itaitinga, Jardim, Icapuí e Guaraciaba do Norte, alcançando 13 municípios com educadores que receberam reajuste igual ou superior ao defendido pelo MEC, como Itaitinga, que ofertou 12% de evolução nos rendimentos.

Entenda a Mudança:
Para 2016 o piso salarial dos professores será de R$ 2.135,64. Portanto o aumento será de 11,36% e o salário base passa de R$ 1.917,78 para R$ 2.135,64. Lembrando que esse valor é para professores com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante enfatizou que esse aumento é um pouco maior do que a inflação pelo IPCA no ano de 2015 que foi de 10,67% e que portanto estados e municípios não podem reclamar que o aumento irá onerar as contas dos estados e municípios.

Segundo o ministro, “Seguramente foi um dos melhores crescimentos salariais para todas as categorias” pois entre 2009 e 2015, o crescimento real para o piso salarial dos professores foi de 46% acima da inflação, disse.

Vale lembrar que grande parte dos estados e municípios ainda não pagam o piso salarial nacional para os professores. Esperamos que em 2016 esse quadro mude e o Ministérios Públicos exijam do poder público o cumprimento da lei na íntegra, pois a categoria merece muito mais do que esse aumento de 11,36$ e esse salário de R$ 2.135,64.